The Impact of an Educational Support Program on Formal Caregivers of Elderly People with Dementia in the Institutional Context

  • Alexandra Miranda Universidade do Porto
  • Isabel Dias Institute of Sociology, University of Porto, Portugal
  • Alexandra Lopes Institute of Sociology, University of Porto, Portugal
Keywords: Dementia, Formal Caregivers, Educational Support Program, Old Age

Abstract

With the aging of the population and the increase of social services tackling their needs, it has been increasing the concern about the qualifications of formal caregivers, with the aim of continuous improvement of the quality of the services they provide to the elderly. The goal of this study is to evaluate the impact of an educational support program on formal caregivers of elderly people with dementia in an institutional context. It follows a quasi-experimental design where the 97 formal caregivers that have participated in the study came from two different institutions. They were randomly selected to participate in an educational support program on dementia, with two groups formed: a control group and an experimental group. Pre and post-training tests were used to evaluate knowledge and perceptions about dementia in old age. Findings suggest that the impact of the educational support program has improved knowledge and perceptions about dementia in old age among formal caregivers.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Almeida, R. (2014). Representações sociais do idoso institucionalizado e influência na comunicação dos profissionais ajudantes de ação direta. Dissertação de Mestrado. Castelo Branco: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Barbosa, A., Cruz, J., Figueiredo, D., Marques, A., & Sousa, L. (2011). Cuidar de idosos com demência em instituições: Competências, dificuldades e necessidades percecionadas pelos cuidadores formais. Psicologia, Saúde & Doenças, 12(1), 119-129.

Carneiro, B., Pires, E., Filho, A., & Guimarães, E. (2009). Perfil dos cuidadores de idosos de instituições de longa permanência e a prevalência de sintomatologia dolorosa. ConScientiae Saúde, 8(1), 75-82.

Carvalho, A. (2012). Ajudantes de ação direta: perceções sobre formação profissional e impacto da formação na prestação de cuidados a idosos dependentes internados. Dissertação de Mestrado. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa.

Carvalho, N. (2016). A importância da realização de atividades no processo do envelhecimento ativo de idosos institucionalizados. Dissertação de Mestrado. Braga: Universidade Católica Portuguesa.

Cepeda, A. (2013). Cuidadores de pacientes com demência: A influência da doença na saúde mental dos cuidadores. Dissertação de Mestrado. Vila Real: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Conceição, J. (2012). Envelhecimento de idosos institucionalizados: Formação de auxiliares de ação direta na associação casapiana de solidariedade. Dissertação de Mestrado. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

Coffey, A. (2004). Perceptions of training for care attendants employed in the care of older people. Journal of Nursing Management, 12(5), 322-328.

Conceição, J. (2012). Envelhecimento de idosos institucionalizados: Formação de auxiliares de ação direta na associação casapiana de solidariedade. Dissertação de Mestrado. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

Corte, A., Pereira, S., & Marques, E. (2014). Dificuldades dos cuidadores formais de idosos institucionalizados. International Journal of Development and Education Psychology, 1(2), 133-140.

Cunha, P. (2012). O múltiplo olhar institucional sobre os doentes de Alzheimer. Dissertação de Mestrado. Viseu: Universidade Católica Portuguesa.

Dzhankarashvili, C. (2017). Formação de cuidadores – Um passo para a regulamentação da profissão. Dissertação de Mestrado. Porto: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto.

Fernandes, A. (2008). Questões demográficas: Demografia e sociologia da população. Lisboa: Edições Colibri.

Fernandes, E., Pavarini, S., Barham, E., Mendiondo, M., & Luchesi, B. (2010). Envelhecimento e demência: O que sabem os agentes comunitários de saúde? Revista da Escola de Enfermagem USP, 44(3), 782-788.

Ferreira, M. E. (2012). Ser cuidador: Um estudo sobre a satisfação do cuidador formal de idosos. Dissertação de Mestrado. Bragança: Escola Superior de Edução do Instituto Politécnico de Bragança.

Fernández-Ballesteros, R. (2002). Social support and quality of life among older people in Spain. Journal of Social Issues, 58(4), 645-659.

Ferreira, T. (2014b). O nível de formação dos cuidadores formais de idosos nas instituições do concelho de Celorico de Bastos. Dissertação de Mestrado. Braga: Universidade Católica Portuguesa.

Fitzpatrick, J. M., & Roberts, J. D. (2004). Challenges for care homes: education and training of healthcare assistants. British Journal of Nursing, 8(21), 1258-i126.

Glaister J., & Blair, C. (2008). Improved education and training for nursing assistants: keys to promoting the mental health of nursing home residents. Issues of Mental Health Nursing, 29(8), 863-872.

Garrido, I. (2017). As representações sociais dos cuidadores formais sobre demência. Dissertação de Mestrado. Beja: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Beja.

Gomes, M., & Mata, A. (2012). A família provedora de cuidados ao idoso dependente. In F. Pereira (Coord.), Teoria e prática da gerontologia: Um guia para cuidadores de idosos (pp. 163-173). Viseu: Psicosoma.

Jacob, L. (2012). Respostas sociais para idosos em Portugal. In F. Pereira (Coord.), Teoria e prática da gerontologia: Um guia para cuidadores de idosos (pp. 129-147). Viseu: Psicosoma.

Kuske, B., Hanns, S., Luck, T., Angermeyer, M., Behrens, J., & Riedel-Heller, S. (2007). Nursing home staff training in dementia care: A systematic review of evaluating programs. International Psychogeriatrics, 19(5), 818-841.

Lerner N., Resnick B., Galik, E., & Russ, K. (2010). Advanced Nursing Assistant Education Program. The Journal of Continuing Education in Nursing, 13, 1-7.

Loureiro, M. (2016). Cuidador Formal e a Demência de Alzheimer. Dissertação de Mestrado. Bragança: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança.

Lima-Costa, M., & Veras, R. (2003). Saúde pública e envelhecimento. Cadernos de Saúde Pública, 19(3), 700-701. doi.org/10.1590/S0102-311X2003000300001

Martins, R. (2006). Envelhecimento e políticas sociais. In Educação, Ciência e Tecnologia (pp. 126-140). Viseu: Instituto Superior Politécnico de Viseu.

Mata, A., & Rodriguez, T. (2012). Autoeficácia do cuidador informal de idosos. In F. Pereira (Coord.), Teoria e prática da gerontologia: Um guia para cuidadores de idosos (pp. 189-204). Viseu: Psicosoma.

Margarido, A. (2016). O cuidador formal de idosos: vivência, experiência de burnout e sobrecarga no desempenho da profissão. Dissertação de Mestrado. Lisboa: Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa.

Maas, M., Specht J., Buckwalter K., Gittler, J., & Bechen, K. (2008). Nursing home staffing and training recommendations for promoting older adults' quality of care and life: Part 2. Increasing nurse staffing and training. Research in Gerontological Nursing, 1(2), 134-152.

Pereira, F. (2012a). Sistemas de apoio aos idosos em Portugal. In F. Pereira (Coord.), Teoria e prática da gerontologia: Um guia para cuidadores de idosos (pp. 119-128). Viseu: Psicosoma.

Pereira, F. (2012b). A institucionalização do idoso. In F. Pereira (Coord.), Teoria e prática da gerontologia: Um guia para cuidadores de idosos (pp. 149-156). Viseu: Psicosoma.

Pereira, S., & Marques, E. (2014). Dificuldades dos cuidadores formais de idosos institucionalizados. Revista de Psicología, 2, 133-140.

Pimentel, L. (2005). O lugar do idoso na família: Contextos e trajetórias. Coimbra: Quarteto.

Rodrigues, C. (2014). Perfil dos cuidadores formais de idosos e motivos para a função: Um estudo de caso. Dissertação de Mestrado. Viana de Castelo: Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Smith, B., Kerse, N., & Parsons, M. (2005). Quality of residential care for older people: does education for healthcare assistants make a difference? Journal of the New Zealand Medical Association, 118, 1214.

Sousa, L., Mendes, A., & Relvas, A. P. (2007). Enfrentar a velhice e a doença crónica. Lisboa: Climepsi.

Sousa, M. (2011). Formação para a prestação de cuidados a pessoas idosas. Cascais: Princípia.

Vigia, M. (2012). Qualidade de vida de cuidadores informais de idosos com demência. Dissertação de Mestrado. Porto: Universidade Fernando Pessoa.

Published
2019-11-27
How to Cite
Miranda, A., Dias, M. I., & Lopes Gunes, A. C. (2019). The Impact of an Educational Support Program on Formal Caregivers of Elderly People with Dementia in the Institutional Context. JOURNAL OF SOCIAL SCIENCE RESEARCH, 14, 3398-3407. https://doi.org/10.24297/jssr.v14i0.8496
Section
Articles